pedro@pedrowerner.com.br    |   

O que é estrabismo?

O que é estrabismo?

O Estrabismo acontece quando os dois olhos apontam para direções diferentes, ou seja, quando não são paralelos. Trata-se de um distúrbio que pode aparecer desde os primeiros meses de vida e seguir até a vida adulta ou aparecer depois, por diferentes razões. 

Esse desvio pode ser constante e atingir sempre um mesmo e único olho (monoculares), pode se manifestar de forma alternada, ora em um, ora em outro olho (alternantes), surgir apenas de vez em quando (intermitentes) ou, ainda, aparecer somente com algum tipo de estímulo, como bater uma foto com flash, por exemplo (latentes).

Classificação

Os tipos de estrabismo dependem justamente das direções para as quais os olhos apontam: 

Esotropia - quando um ou ambos os olhos convergem para dentro, em direção ao nariz;

Exotropia - quando um ou os dois olhos divergem para fora, oposto ao nariz;

Hipertropia - quando os olhos verticalizam, movendo-se para cima ou para baixo.

Causas

Nossos olhos são controlados por músculos ligados a nervos cerebrais. Quando esses músculos não estão sincronizados, os olhos também não - é neste ambiente que se dá o estrabismo. Mas há outros fatores que também podem comprometer a harmonia do funcionamento neuromuscular, como grau elevado de refração (hipermetropia, miopia); visão deficiente de um dos olhos; doenças neurológicas (AVC, paralisia cerebral, traumas cranioencefálicos), genéticas (síndrome de Down), oculares (catarata), infecciosas (meningite, encefalite), metabólicas (tireoide, diabetes) e hereditariedade.

Sintomas e Diagnóstico

A visão dupla ou diplopia é um dos principais sintomas do estrabismo, ou seja, a pessoa não consegue enxergar a mesma imagem com os dois olhos e os objetos perdem a profundidade, parecem planos. Dor de cabeça e torcicolo (pelo esforço repetitivo do pescoço para enxergar melhor) completam o quadro. 

O exame físico não basta para fazer o diagnóstico de estrabismo porque há casos de pseudoestrabismo, quando uma alteração anatômica do nariz atrapalha o eixo da visão e dá a falsa impressão de desvio. Por isso, o diagnóstico geralmente é confirmado por exames de reflexo, de acuidade visual, de fundo de olho, de oclusão e movimento ocular.

Tratamento

O tratamento é capaz de reverter o distúrbio, mas é baseado em cuidar primeiro das causas - e quanto mais rápido e seguido à risca, melhor. A cirurgia só é cogitada quando os problemas que causaram o distúrbio já foram corrigidos. Mas, antes mesmo disso, as opções de terapias variam entre aplicação de colírios, uso de óculos, exercícios ortópticos e até aplicação de toxina botulínica.

Fonte: Medical Site

03 de Outubro de 2019